Editores

Último Podcast (16 Dez 2017)

Clica para ouvir

Entrevista: Waste Disposal Machine

Waste Disposal Machine

Entrevista com Happy Farm

Happy Farm

Entrevista com Grog

Grog

Entrevista com Galo Cant'às Duas

Galo Cant'às Duas

Emissão em Direto (Sádado 12-15)

Clica para ouvir

METRO-SOM

A Metro-Som foi fundada em 9 de Julho de 1974 por Branco de Oliveira. Ficava situada na Rua Dr. Faria de Vasconcelos, em Lisboa. Editora mais ligada à edição de discos de Fado, Bandas Militares e ranchos e grupos tradicionais. Pioneira na edição de grupos de rock como Aqui D'el Rock, UHF, Ananga-Ranga, Jafumega, Ferro & Fogo, etc... Mais tarde editou nomes como Diva ou João Tilly e os Portugueses Suaves.

dados: site Oficial

NOVA

A Nova - Companhia de Música, Lda. lançou em 1979 o álbum "Música Moderna" dos Corpo Diplomático. A editora teve bastante projecção, nessa altura, com o sucesso do Punk e New Wave. Lançaram também discos dos Puzzle e Cândida Branca-Flor.

EMI-VALENTIM DE CARVALHO

É a mais antiga editora portuguesa.  As gravações anteriores eram feitas por empresas estrangeiras. A Valentim de Carvalho gravou os seus primeiros discos em 1926/1927 com Maria Alice.

A Valentim de Carvalho foi licenciada da EMI durante mais de 4 décadas. Nos anos 80, quando a EMI decide instalar-se em Portugal propõe uma parceria à Valentim de Carvalho. Nasce assim a EMI-Valentim de Carvalho com o capital dividido pelas duas empresas onde ninguém tinha voto de qualidade e tinha de haver acordo. A empresa ficou com dois directores conjuntos David Ferreira e Francisco Vasconcelos, ambos sobrinhos de Rui Valentim de Carvalho (sobrinho do fundador da empresa).

Em 1994, a Valentim de Carvalho decide vender a sua quota pois estava interessada em investir na produção de televisão e na expansão das lojas. A Norte Sul apesar de ter distribuição da EMI são entidades separadas. Embora a Valentim tivesse vendido a sua parte a empresa continuou a chamar-se EMI-Valentim de Carvalho.

Os masters anteriores a 1983 continuaram na Valentim de Carvalho mas a EMI tem direito à sua exploração através de um contrato licença. Foram transferidos todos os contratos que estavam activos em 1994 à excepção do contrato de Amália.

A Valentim de Carvalho transferiu a sua parte dos masters gravados durante a vida da Joint-Venture  [Entre Julho de 1983 e Setembro de 1994] que passaram a ser propriedade da EMI. Os artistas que tinham entrado antes de 1983, como é o caso de António Variacões e Carlos Paião, também passaram para a EMI.

dados retirados da revista "Promúsica" de Julho de 2001

No início dos anos 80 a companhia passou a chamar-se Vecemi, Música e Discos, Lda. Posteriormente passou a designar-se EMI - Valentim de Carvalho. Mais recentemente mudou o nome para EMI Music Portugal.

POLYGRAM

A Polygram Portugal teve a sua origem na Philips Portuguesa e começou por ser o Departamento de Musica daquela Organização. A Empresa foi oficialmente constituída em Julho de 1974 com a denominação social de Phonogram Portuguesa - Música e Video, SARL. Em Dezembro de 1978 alterou a designação social para Polygram Discos, SA. 

Foi uma Companhia que apostou sempre na Música Portuguesa e que descobriu e lançou nomes como:  Banda do Casaco, Doce, Taxi, Heróis do Mar, Eugénia Melo e Castro, Trabalhadores do Comércio, Afonsinhos do Condado  e tantos outros. Pela editora passaram outros nomes como Carlos do Carmo, Carlos Paredes, Paulo de Carvalho, Tonicha, Sérgio Godinho e Xutos e Pontapés.

Foi a primeira Editora discográfica em Portugal a investir em televisão, em compilações com a etiqueta Polystar, e a lançar discos das séries televisivas, nomeadamente: Heidi, Pipi das Meias Altas e Abelha Maia. Editou também os discos do programa "Fungagá da Bicharada" e do Avô Cantigas.

Em Julho de 1996, a denominação social da empresa foi alterada para Polygram Portugal - Som e Imagem, SA. Três anos depois passou a chamar-se Universal Music Portugal, SA, como resultado da sua aquisição pelo Grupo Seagram.

adaptado do site Oficial

SASSETI

A editora comemorou 35 anos em 1983. Nos anos 80 lançou discos de Tó Neto, Fausto ("Por Este Rio Acima"), Júlio Pereira, José Afonso, Fernando Girão, Rui Júnior, Rosa dos Ventos, entre outros. Diapasão era uma das suas etiquetas.

ROSSIL

A Edições Rossil, Lda era uma editora criada em 1977 ligada a um reportório mais ligeiro com nomes como Maranata, Paulo Alexandre, Clemente ou Alexandra. O responsável  era José António Crespo. Editaram o primeiro álbum dos Salada de Frutas e os luso-franceses Boeing. Posteriormente transformou-se em Videofono virando-se mais para a produção de programas de televisão. Em 1987, a Videofono reeditou o álbum "1978-1982" numa capa apenas com duas cores e prensagem caseira.

IMAVOX

Editora nacionalizada com ligações à RDP. Editou discos da Banda do Casaco ("Hoje Há Conquilhas..."), Go Graal Blues Band, Alarme ("Desconto Especial"), entre outros.

RPE EDITORES

RPE (Rádio Produções Europa) era o nome de um estúdio de gravação que depois viria dar origem aos conhecidos Angel Studio. Editora de Fernando Correia Martins situada na Av. Melo Falcão, 36 S/ Loja Esq. Pontinha-Lisboa. Lançaram discos dos Arco Iris (RPE 00.004 ), Speeds (RPE 1012), Trabalhadores do Comércio e Rui de Mascarenhas. Aquando da edição dos singles seguintes já tinha sido criada a  Gira - Industrias de Som, Lda.

GIRA

Editaram discos de Speeds (GIS-01) e Trabalhadores do Comércio (GIS-04). Outros discos editados pela Gira são "Marijuana" dos Arte & Ofício (GIS-03) e "A Pastilha/Rockolagem" de João Moutinho (GIS-009). Outros nomes: Fernando Pedro.

VADECA

A J. C. Donas, Lda. era uma empresa do Porto ligada ao grupo Valentim do Carvalho. A Vadeca lançou discos de Adelaide Ferreira (Baby Suicida e Bichos), Street Kids, Go Graal Blues Band, TNT, Frodo, Iodo, António Garcez , Roxigénio e NZZN. Idílio Viana (ex-Rossil) foi A&R da editora.

RODA ROCK

Outra etiqueta da J. C. Donas, Lda. era a "Roda Rock" com nomes como FM, Bico d'Obra, Tilt, King Fisher's Band, Siclave, Má Fila, Banda do Cidadão, Rocktrote, MegaHertz e TIR. A Etiqueta Roda já existia desde os anos 70.

RÁDIO TRIUNFO

A etiqueta Orfeu tinha sido usada anteriormente pela Arnaldo Trindade. No final dos anos 60 e até meados da década de 80, a Orfeu tinha tido os melhores artistas e criadores de Música Portuguesa. Uma das primeiras edições foi o registo discográfico de uma antologia poética com vários poetas de renome. José Afonso foi um dos nomes mais importantes que passou por essa editora. A Rádio Triunfo, fundada em 1946, era uma das duas únicas fábricas de discos em Portugal e mais tarde foi adquirida pela Arnaldo Trindade. Nos anos 80 a editora, já desligada da portuense Arnaldo Trindade, lançou álbuns de Rock & Várius, Seilasié, UHF, Terra a Terra, Raízes, Vai de Roda, Armando Gama e Arte & Ofício e singles de Fernando, Etta, Albatroz, Roxigénio, TNT, entre outros. No início de 1985 era uma das mais importantes companhias discográficas, representante de etiquetas como a CBS e a WEA. A editora foi expulsa da Associação de Editoras (GPPFV) e perdeu muitas das empresas que representava acabando por fechar pouco tempo depois. A nível nacional tinha artistas como UHF, Maria João, José Cid, entre outros. Após a falência, o espólio da editora passou para a Movieplay.

RCS

A RCS, Edições e Produções Musicais situava-se na Rua Maria Andrade,7º 1º dto, em Lisboa. Luís Filipe Barros era um dos proprietários. Lançou, em 1981, o single "Touch Me Now" dos Go Graal Blues Band. Lançaram o Movimento Sangue Novo. Outros nomes da editora foram Abismo, Antigo Testamento, Ks'lixe, BVB (Bombeiros Voluntários de Barcarena), Quartzo ou Conjunto Pauta Livre.

ROTAÇÃO

Etiqueta independente criada, em finais de 1981, pela Rossil. O mentor da etiqueta foi António Sérgio que era label manager da Rossil. A editora acabaria por encerrar actividades no último trimestre de 1982.  +

EDISOM

Editora fundada em 1981 por antigos funcionários da Rossil. Um dos responsáveis era António Manuel Duarte. Lançaram discos de Salada de Frutas, Pizo Lizo, UHF, José Mário Branco, Vodka Laranja, Frodo, Discurso Directo, Carlos Guilherme, entre outros. Era a representante de editoras como a Virgin, Mute, Charisma e Stiff. Obtiveram grande sucesso com os Mini-Stars, conceito baseado num grupo representado pela CNR. Outros nomes são Doutores & Engenheiros e Joaquim d'Azurém. A edição discográfica perdeu bastante com a perda de algumas das editoras representadas e com a criação da Edivideo ligada à edição de cassetes video e jogos de computador.

VIMÚSICA

Editora fundada por antigos elementos da Vadeca e que existiu durante pouco tempo. O responsável era Idílio Viana que depois foi para o Canadá. Foram a primeira editora a representar a inglesa Factory Records com quem tiveram vários problemas. Estiveram ligados à editora nomes como Carlos Maria Trindade [single "Princesa" de 1982], Stratus ou Adelaide Ferreira. Guilherme Silva, Teresinha Reis, Travel, Pró Que Reggae e Vier foram outros dos nomes. A empresa foi à falência o que levou à destruição do álbum "Tédio" de Carlos Maria Trindade.

PROMUSIX

Começou em meados de 1981 à conta do estúdio do mesmo nome. Um dos técnicos de som era Filu (Filoteio Dias). Os outros responsáveis eram Renato Quaresma e Anibal Coelho. Editaram discos de Pedra d'Hera (álbuns em 1982 e 1984), Gonzaga, Brigada do Reumático e Isabel Soares, entre outros.

MATERFONIS

Etiqueta ligada à Discossete. No «boom» do rock português lançaram alguns discos (Sui Generis, Semáforo, Holiday, um dos singles dos Tilt,...). Júlio Isidro chegou a estar ligado à editora nesta fase.  Alguns anos mais tarde editaram trabalhos de Paulo Gonzo, Manuel Cardoso, Tó Neto e Armando Gama.

CLICHÉ

Foi uma ideia de Rui Pavão. Era uma loja de roupa do Bairro Alto que depois se transformou num espaço misto com a venda de discos. Editaram álbuns dos Telectu e de Ana da Silva (Raincoats).5 discos distribuídos. Lançaram Young Marble Giants, David Thomas, Pigbag, Material e Raincoats.

FUNDAÇÃO ATLÂNTICA

Editora criada por Pedro Ayres Magalhães e Miguel Esteves Cardoso. Lançaram os primeiros discos de Sétima Legião, Delfins e Anamar, entre outros. Editora com ligações à Valentim de Carvalho que cedia o tempo de estúdio e que tratava da distribuição. A empresa acabou em 1984.  +

TRANSMÉDIA

Editora independente criada em Maio de 1984 por Nuno Rodrigues e Jorge Zagalo. A primeira edição foi do disco "Banda do Casaco com Ti Chitas". Para esta editora gravaram nomes como José Afonso ("Galinhas do Mato"), Júlio Pereira, Poke, Ronda Quatro Caminhos, Né Ladeiras, Peste & Sida, Shish, Go Graal Blues Band e António Emiliano, entre outros. Em 1987 gravaram o álbum de estreia dos Tarantula. Em termos internacionais detinha o catálogo da Rough Trade e de outras editoras independentes. Acabaria por ir à falência antes do fim da década. 

MOVIEPLAY

Editora criada em 1968 ainda com o nome de Sonoplay. Pouco antes do 25 de Abril mudou de nome para Movieplay. Deixou de fazer parte do grupo Movierecord. Lançaram discos dos Meninos do Coro. No início dos anos 90 reeditaram alguns dos trabalhos da Dansa do Som. Ficaram com o espólio da editora Rádio Triunfo/Arnaldo Trindade e de muitas outras.

DISREGO

Editora açoriana que editou discos de Construção (1982), Maria Antónia Esteves ("Manjericão da Serra", 1984). Lançaram muitas das gravações feitas na RDP/Açores. 

DISCOSSETE

A Discossete - Estúdio de Gravação e Edição Musical, Lda., situada mesmo ao lado da Metro-Som, foi fundada em 1982. Pioneira na edição de discos de Metal como Ibéria, Samurai e Vasco da Gama. Outros nomes foram Da Vinci, Fernando Correia Marques, Horituba, Ferro & Fogo, entre outros. Também lançou discos de música popular (Romanças, Maio Moço), de fado de coimbra e de outros géneros. Chegou a mudar de nome para CDsete tendo posteriormente sido comprada pela Espacial.

DACAPO

Pela editora passaram nomes como Paco Bandeira, Rodrigo, Trigo Limpo, António Sala e Maria Guinot. Editaram o primeiro single de Dora.

DANSA DO SOM

Editora ligada ao Rock Rendez-Vous. Um dos objectivos era lançar os discos dos grupos vencedores dos concursos de Música Moderna. A primeira edição foi a compilação "Ao Vivo no Rock Rendez-Vous em 1984". +

CBS

Esta multinacional foi representada pela Rádio Triunfo até 1980. Depois de uma pausa instalou-se em Portugal em 1982. Editou discos de Lena d'Água, Ricardo, Dora, Fausto, Ana Faria, Paulo Gonzo, António Sala, Nuno & Henrique, In Loco, José Malhoa, Romance, Onda Choc, entre outros. Em 1987 editaram o single de estreia dos Ena Pá 2000. Nos anos 90 mudou de nome para Sony Music e depois juntaram-se à BMG.

MVM

Lançaram discos de Rotor, Luís Bettencourt, entre outros. Editora ligada à Companhia Nacional de Música.

ALLIANCE RECORDS

Editora criada pelos Croix-Sainte para lançar o seu disco.

HORIZONTE

Pequena editora nortenha mais ligada aos sons mais ligeiros e populares. Em 1985 editaram discos de Xeque Mate e Jarojupe.

OVAÇÃO

Editora ligada a um repertório mais ligeiro que surgiu em Novembro de 1985. Os responsáveis eram dois ex-Rádio Triunfo, Fernando Matias e Carlos Lacerda. Lançaram discos de Ronda dos Quatro Caminhos, Romanças, etc.. Logo no inicío adquiriu o catálogo Estúdio que existia desde os anos 60.

AMA ROMANTA

Editora independente criada em 1986 por João Peste e Maria João Serra. O primeiro lançamento foi a compilação "Divergências".  +

RM DISCOS

Editora ligada à Dansa do Som. Editaram singles de In Loco e La Valise.

MBP

Editora fundada por Marcelino de Brito no fim da década. Lançou álbuns de Adelaide Ferreira, Theresa Mayuko, Tó Neto e Brigada Victor Jara. Outros nomes são Tó Leal, Peacemakers, Luís Filipe, Fernando Pereira e Marina Mota, entre outros. Não duraria muito tempo.

FACADAS NA NOITE

Editora de cassetes de Braga. Lançou várias compilações nesse formato. +

TRAGIC FIGURES

Surgiu em Junho de 1989 tendo como principais objectivos criar alternativas no campo da música independente em Portugal e no estrangeiro bem como divulgar e promover artistas portugueses (e estrangeiros) por todo o mundo. Um ano depois da sua fundação já tinham editado um LP (Digital Buiça dos Telectu) e 15 cassetes. Viria a dar origem à editora MTM.

UNIÃO LISBOA

Agência de representação de artistas que se estreou na edição com o lançamento do máxi-single dos Golpe de Estado. Na década de 90 existiria como editora lançando discos de Astronautas, Ramp, entre outros.

UPAV

Organização de artistas formada em 1983. O grupo fundador incluía nomes como José Mário Branco, Carlos do Carmo, Rodrigo, Dina e Alexandra. A eles juntaram-se Maria Guinot, Jorge Lomba, Brigada Victor Jara, Manuel Tentúgal (Vai de Roda), José David (do grupo Almanaque), os actores Mário Viegas e Manuela de Freitas, entre outros. Começaram por organizar espectáculos dos sócios. Em 1991 estreou-se na edição com o lançamento de discos de J.M. Branco, Dina, Rodrigo, Maria Guinot, Jorge Lomba, Vai de Roda e de Mário Viegas e Manuela de Freitas.

-------

Valentim de Carvalho CI, SARL / Polygram Discos, SARL / Rádio Triunfo, Lda. / Dacapo / Edisom / Vadeca - J.C. Donas, Lda. / Edições Rossil, Lda., Promusix / Imavox / Arnaldo Trindade & Cia, Lda. / Sasseti / CBS / MVM / Nova - Companhia de Música, Lda. / Gira - Indústrias de Som, Lda.

HORIZONTE, AGF

Share

Parcerias

 
A Trompa NAAM  

Parcerias Software Livre Audio

 
Rivendell - Radio Automation Mixxx - Free DJ Mixing Software Paravel Systems Tryphon