Edições

Último Podcast (9 Dez 2017)

Clica para ouvir

Entrevista: Waste Disposal Machine

Waste Disposal Machine

Entrevista com Happy Farm

Happy Farm

Entrevista com Grog

Grog

Entrevista com Galo Cant'às Duas

Galo Cant'às Duas

Emissão em Direto (Sádado 12-15)

Clica para ouvir

Edições

Dois anos depois do primeiro EP Morning After, após muito sangue, suor e lágrimas, os Fugly seguem o seu percurso em busca do caos e da excentricidade frenética do noise e do garage, bem como a cura para a ressaca, com o novo Millennial Shit, a ser lançado pela editora independente O Cão da Garagem.

Miss Cadaver é um projecto de Rui Vieira. Nascido em 1974 em Torres Vedras, actualmente a morar em Arruda dos Vinhos, a música sempre foi preponderante na sua vida. Não tendo ninguém directamente ligado à 1ª Arte, lá por casa ouvia-se frequentemente Carlos Paião, ABBA, António Variações e toda uma panóplia de cassetes com os êxitos pop da altura (inícios/meados de 80). Desde cedo que o metal e o punk andaram de rnãos dadas.

Gonçalo é humano, “Boavista” camaleão.
Há pessoas e coisas estanques, com receio ou incapazes de mudar, incolores e sem vida aparente. “Boavista” é a antítese de tudo isso. É a luz matinal e a comunhão que daí advém; a noite e a sua solidão e introspeção; são memórias de sempre cruzadas com o viver do presente; é a constante mutação e a prova de que devemos experimentar ser tudo para realmente ser algo.

Algo capaz de ser resolvido, criado, inventado. É esse o significado da palavra Devisable que dá título ao álbum de estreia de Peltzer, duo de música electrónica constituído por Rui Gaio e Cato Calado. Para trabalhar neste disco, escolheram Francisco Rebelo, um dos mais reputados músicos, produtores e arranjadores do nosso país.

Feito de uma mistura fina entre tensão e contemplação, "Slit" é o tema de apresentação do novo álbum de Dear Telephone. A câmara de André Tentúgal revela esta ambivalência, prendendo os músicos em planos duros e estáticos, para logo perseguir os seus olhares entre a névoa de lirismo. Em fundo, como sempre, a cidade - agora, mais perto do que nunca. “Cut” é editado em vinil no dia 27 de Outubro pela PAD e os primeiros concertos confirmados são dias 26 e 27 de Outubro no Theatro Gil Vicente em Barcelos.

Pesado, directo e sempre a rasgar! Os Rasgo são a maior surpresa da cena alternativa portuguesa em 2017!
Apareceram na cena portuguesa de forma meteórica. A razão de tal afirmação é simples: apesar da banda ser recente, os Rasgo são tudo menos principiantes e contam nas suas fileiras com músicos experientes e com provas dadas!

"Enquanto estamos aqui, eles estão lá. Reconhecer a existência dos outros é o passo mais essencial para respeitá-los.
Afirmar o interior do país e o meio rural corno uma realidade folclórica, exótica, ligada exclusivamente ao passado, é um insulto. Se existe agora., neste momento, então é presente. Se há quem ande carroça hoje, então hoje também se anda de carroça. Não é possível levar uma vida no passado, acorda-se sempre no dia em que se está. Defender que a realidade do interior não é contemporânea transporta a visão tendenciosa e preconceituosa de que o nosso tempo é intrinsecamente urbano.

de Turquoise é uma construção íntima a solo de André Júlio Teixeira, onde o instrumento alfa é a guitarra, e a voz sua fiel companheira. A viagem é o mote e o mundo a mira.
Se a música fosse uma cor, a de André Júlio Teixeira seria turquesa. de Turquoise é o nome do seu mais recente projecto a solo, uma tentativa de encontrar na música, talvez, essa mesma frequência harmónica de azul, que apazigua, que sugere um lugar pleno para se estar.

O novo 'Hoping Something Anything' foi gravado ao longo do ano de 2016 nos Spitfire Audio Studios em Londres, produzido pela própria banda e masterizado por JJ Golden (Rodrigo Amarante, Devendra Banhart, Vetiver) em Ventura, California. Foi editado dia 15 de Setembro pela Last Train Records, editora que Time For T tem em parceria com a banda amiga de Brighton, Common Tongues.

Após o lançamento do seu primeiro trabalho, em 2015, os Maquina del Amor voltam às edições, no final de 2017, com o lançamento de “Disco”, dia 24 de Novembro. Constituídos por Ronaldo Fonseca, Filipe Palas, José Figueiredo e Miguel Macieira, membros dos peixe : avião e dos smix smox smux, os Maquina del Amor fundem elementos de música rock e eletrónica, com a improvisação e a apropriação do ruído como recurso musical a ocupar lugares de destaque, no seu processo criativo.

Mano a Mano é o duo formado pelos irmãos André e Bruno Santos, dois guitarristas com um vasto percurso musical, maioritariamente no estilo Jazz, onde são considerados dois dos mais importantes músicos a nível nacional. Neste duo, que resulta de uma forte empatia entre os dois irmãos, a escolha de repertório é baseada em originais escritos ou adaptados especificamente para este o duo, e arranjos de canções de autores como Tom Jobim, Chico Buarque, Max, Jim Hall, Irving Berlin ou Thelonious Monk, que os manos foram descobrindo e partilhando ao longo dos anos.

Parcerias

 
A Trompa NAAM  

Parcerias Software Livre Audio

 
Rivendell - Radio Automation Mixxx - Free DJ Mixing Software Paravel Systems Tryphon